O Youtube compartilhando nossos gostos - e uma reflexão sobre o Facebook




O Youtube tem muitas características interessantes.
Quando você termina de ver um vídeo, imediatamente, a parte de descrição passa para a aba "compartilhar", sem você precisar clicar em nada, repare quando ver um video completo. Sempre. 

Ele supre de maneira eficaz a nossa vontade de
querer compartilhar algo que gostamos

Por exemplo, quando estamos conversando com alguém e essa pessoa diz algo muito interessante que você gostou e gostaria de compartilhar, ou mesmo quando você vê algo aleatório em algum lugar.
É exatamente igual a sensação que o Youtube proporciona, pois se você assistiu ao vídeo até o fim, pressupõe-se que realmente gostou!

Hoje em dia é muito natural ouvir alguém, enquanto conversa, dizer "eu posso dar um like?" ou algo parecido, a respeito de algum comentário de alguém. A vontade de valorizar algo porque você gostou é intrínseca, assim talvez surgiram os aplausos e ovações.
Pesquisando "ovação" no Google, o primeiro resultado é o seguinte:


É um manifesto vocal de grande repercussão em um ambiente qualquer. Vozerio que transmite algum sentimento.
Gritos da platéia, apoio emocional ou vaias, gritos de aprovação ou de rejeição.

Depois falaremos mais sobre likes e dislikes, vamos para:


Os vlogs e os gostos em comum compartilhados


Eu tenho o vício de assistir vlogs pra analisar várias coisas (e também porque gosto muito de ouvir a pronúncia do inglês e francês, por gostar de línguas e também pra treinar o ouvido). Existem vários tipos de vlogs com vários objetivos específicos. Um tipo que acho interessante é o de beleza (geralmente é o nome da menina e "beauty" junto).
São meninas que gastam do seu tempo para compartilhar com as outras conhecimento que tem sobre o que gostam, como por exemplo tipos de maquiagem e como usá-las. Existe uma quantidade assustadora de canais no Youtube deste tipo de vlog, e porquê eles fazem tanto sucesso?
Estando a serviço de um prazer próprio que é a beleza e a inteligência coletiva, dando muitas dicas de beleza e de estilos de roupa, elas estão agradando as pessoas que tem gostos iguais aos delas, pois antes elas gostaram do produto ou idéia e depois compartilharam!
Antes era só você e suas roupas; você e a loja cheia de idéias novas e dispersas; você e os comerciais com dicas longe do seu contexto. Agora as pessoas podem compartilhar coisas próximas. Meninas com idades próximas e conceitos próximos, sem interferência dispersa como comerciais, que fogem da realidade delas. Este é um recurso fantástico que o Youtube proporcionou: A conexão entre gostos. Aí se você gosta, em muitos casos, vai querer compartilhar!


Continuando com o assunto dos likes


É tão difícil elogiar alguém pessoalmente, é mais fácil dar um like.
O botão curtir está a serviço de várias necessidades que surgiram no meio virtual. Um exemplo: curtir o último comentário de uma discussão, dispensando a necessidade de comentar de novo para concordar.
Eu estava pensando sobre a falta do dislike no Facebook, seria extremamente útil e, também, dispensaria comentários de discordância em muitos casos (que faz perder nosso tempo de vida).
O dislike no Youtube ajuda em várias questões.
Como o Youtube exige bastante da sua atenção e tempo, pelo menos tem que possibilitar que a gente diga se gostou ou não gostou da coisa!
Por exemplo, você pode ter assistido o vídeo inteiro, e independente do Youtube ter lhe apresentado as opções de compartilhamento, você quer é acrescentar mais um número ao Thumbs Down! Aí se os dislikes contam mais do que os likes e chegam próximos do número de views, quer dizer que mais pessoas que não gostaram assistiram do que as que gostaram, coisa muito eficiente no caso do Youtube!
 

O dislike no Facebook


O Facebook não é um lugar para ficar dando nota para as coisas assim como acontece no Youtube, e sim para interação. Caso tivesse o botão dislike, talvez poderia mais atrapalhar do que ajudar. O Face está a serviço do bem estar do ser humano.
Vejamos, se numa foto de algum amigo/a seu/ua tivesse os dois botões e tivesse mais dislikes do que likes, você acha que seria legal? Como a pessoa se sentiria? Aconteceriam comentários zueiros a respeito disso?


Não é este o objetivo do Facebook!

Eu disse a serviço do ser humano porque se a pessoa cria uma conta no serviço oferecido pela empresa do Face, ela não quer ter prejuízos neste investimento. Pense desta maneira, é um investimento de tempo, ou seja, da sua vida. Estar em frente ao pc, enviando fotos, criando postagens, etc
Como somos todos pessoas atrás de pcs, estamos em busca de algo, algum resultado, e este algo é bem estar! Experiências que nos agradem!

Caso tivesse o botão dislike, talvez acontecesse de odiarmos nossas contas porque, afinal, "tive 1000 dislikes naquela foto e 500 naquela outra..." Seria um desprazer enorme usar o Face, e o pior, todos poderiam ver esta contagem!
Aí você vê a jogada esperta do Facebook, onde você busca bem estar e o encontra, sem muitas possibilidades de acontecer o desconforto. É proibido sentir desconforto hoje em dia, ainda mais com tanta tecnologia! (mas isso eu comento em outra postagem, sobre a grande chave-de-ouro do comércio: vender o bem estar).

Vejam pelo lado da empresa, quem gostaria de criar o Facebook pra perder usuários depois que ficaram com ódio dele? O Orkut sofreu com isto. Uma possibilidade que ele oferecia era os conhecidos "depoimentos".
Se você tinha poucos depoimentos você não era amado (?????). se você tinha muitos, sempre queria mais! Aconteceu até chegar ao ponto de ficarem mendigando publicamente por depoimentos (foi aí que descobri o que significa vergonha alheia). É a busca da aceitação no meio em que você vive, que por trás está escondido o nosso amigo bem estar.

Um caso simples é o Flappy Bird. Jogo que mais causa revolta do que conforto. Pois mesmo que você faça um score bom, você tem raiva do jogo. É natural. Não existe muito mérito, então ele perde muitos usuários porque não está a serviço do bem estar, mas da inutilidade. Também vou fazer um post-review sobre este jogo depois, dizendo os lados bons dele que encontrei mediante análise profuuunda rsrs.

--- Não tem um fim verdadeiro este post, então fica por aqui hehe.

Compartilhe:

0 comentários